Avaliação de uso de parques por meio de protocolos da saúde pública: um estudo comparativo

Geane Talia de Almeida Lopes, Mariana Ragassi Urbano, Adriano Akira Ferreira Hino, Milena Kanashiro

Resumo


Estudos têm apontado o importante papel dos espaços públicos como suporte para uma vida mais saudável. O objetivo da pesquisa foi verificar a existência de associação entre as configurações espaciais de parques localizados em áreas socioeconômicas distintas com a prática de atividade física. A estratégia metodológica foi a de estudo de caso comparativo em dois parques na cidade de Londrina, PR, a partir do uso dos protocolos Soparc (System for Observing Play and Recreation in Communities) e Para (Physical Activity Resource Assessment) para capturar dados dos usuários, atividades e intensidade de atividade física e as características dos parques. Os resultados indicaram associação entre instalações como academia ao ar livre, pista de caminhada, campo esportivo, área de piquenique e arquibancada com a prática de atividade física em nível moderado/vigoroso. As análises apontaram diferenças qualitativas de inserção, acessos, entorno imediato e condições diferenciadas dos parques. Os resultados contribuem para subsidiar diretrizes espaciais para projetos de parques, bem como motivar um debate interdisciplinar no uso de protocolos validados e aplicados nas pesquisas da área da Saúde.


Palavras-chave


Ambienta Construído; Parques urbanos; iSOPARC; PARA

Texto completo:

HTML




Direitos autorais 2021 Ambiente Construído

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Indexado em: