Modelo matemático para a tomada de decisão para sistema predial de água não potável: descentralizado ou centralizado?

Christine Miranda Dias, Lúcia Helena de Oliveira, Fernando Akira Kurokawa

Resumo


Os sistemas prediais de água não potável podem ser do tipo descentralizado individual, descentralizado em grupo ou centralizado. Não há consenso sobre qual deles é o mais eficiente, uma vez que tanto os sistemas centralizados como os descentralizados possuem particularidades que os tornam interessantes ou não em aspectos sociais, econômicos e ambientais. Assim, o objetivo deste artigo é desenvolver a formulação de um modelo matemático para a tomada de decisão quanto ao tipo de sistema de água não potável e comparar os sistemas descentralizados com o sistema centralizado no período de 20 anos, com e sem o efeito escala. O modelo foi desenvolvido com base em uma abordagem matemática determinística, conhecida na literatura como programação inteira. Os diferenciais desse modelo é que ele permite determinar o custo total acumulado, o custo ao longo da vida útil e a quantidade de sistemas para atender a uma demanda específica. O modelo foi aplicado a um condomínio residencial hipotético com uma população mínima de 1.700 habitantes. Os resultados indicam que o sistema centralizado é mais viável do que os sistemas descentralizados em termos de custos de implantação, manutenção e de operação para a vida útil de 20 anos, com e sem o efeito escala.


Palavras-chave


Água não Potável; Tomada de Decisão; Sistema Centralizado; Sistema Descentralizado; Programação Inteira

Texto completo:

HTML




Direitos autorais 2020 Ambiente Construído

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Indexado em: