Atributos físico-espaciais e configuracionais de segmentos de ruas e ocorrências de roubos a pedestres

Antônio Tarcísio da Luz Reis, Clarel Fernando Ely Junior, Camila da Silva Eisenhut

Resumo


Este artigo trata das relações entre as ocorrências de roubos a pedestres em diferentes turnos e atributos físico-espaciais e configuracionais de segmentos de ruas nos 22 bairros na região central de Porto Alegre, incluindo comprimento do segmento, conectividade, integração e escolha, conexões físicas e visuais, barreiras físicas e visuais, postes de luz, número de portas de garagem, tipos de uso das edificações e os usos no pavimento térreo durante cada um dos quatro turnos. Ainda, são considerados o dia da semana, mês e ano no qual o roubo a pedestre ocorreu. As ocorrências de roubos a pedestres foram coletadas na plataforma digital “Onde fui roubado” no período de 1º de janeiro de 2012 a 31 de março de 2016. Os dados obtidos foram registrados no programa QGIS sobre uma imagem de satélite da região associada a um mapa de segmentos gerado pelo programa Depthmap. Adicionalmente, foram realizadas análises estatísticas com o programa SPSS/PC. Os resultados mostram a tendência de o roubo a pedestre ocorrer nos turnos da noite e da tarde e em segmentos de ruas pouco iluminados, com baixos níveis de conexão física e visual entre as edificações e os espaços abertos públicos, com pouca quantidade de edificações de uso misto, residencial e comercial/serviços, e com pequena quantidade de usos residenciais e de atividades de serviços e comerciais nos pavimentos térreos.


Palavras-chave


roubos a pedestres; atributos dos segmentos; crime na rua

Texto completo:

HTML




Direitos autorais 2019 Ambiente Construído

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Indexado em: