Influência das frações granulométricas de agregados miúdos reciclados no comportamento de argamassas de cimento

Cássia Rabelo Correa, Cláudio Henrique Pereira, João Henrique Silva Rêgo

Resumo


O trabalho parte do pressuposto de que as frações granulométricas dos agregados miúdos reciclados apresentam características diferentes, as quais influenciariam de forma distinta no comportamento mecânico das argamassas. Nesse sentido, o artigo propõe o estudo das frações granulométricas de duas areias recicladas: areia de resíduo de construção e demolição (AR1) e areia de resíduo de concreto (AR2). As areias recicladas foram submetidas a ensaios de caracterização física e FRX, e na sequência foram incorporadas em argamassas. Os resultados revelaram que as areias recicladas são formadas por dois grupos com características e tendências distintas: (1) o grupo das “frações grossas”, formado pelas frações grossa e média-grossa; e (2) o grupo das “frações finas”, formado pelas frações média-fina e fina. O estudo mostrou que a diversidade dos materiais de origem da AR1 fez com que a pasta de cimento se diluísse em suas frações; ao contrário, com a AR2, a pasta se concentrou, principalmente nas “frações finas”. Sendo assim, as “frações finas” da AR1 se mostraram semelhantes à areia do IPT (utilizada como referência) e mais adequadas do que as “frações finas” da AR2. O estudo concluiu que existem diferenças nos comportamentos mecânicos das argamassas conforme a fração granulométrica é substituída, o que amplia as possibilidades de aplicação de agregados miúdos reciclados em designs de misturas cimentícias.


Palavras-chave


areias recicladas, frações granulométricas, argamassas recicladas, propriedades mecânicas

Texto completo:

HTML




Direitos autorais 2020 Ambiente Construído

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Indexado em: