Argamassas de cal e terra: características e possibilidades de aplicação

Paulina Faria

Resumo


Admite-se como hipótese que as argamassas mistas de cal e terra tenham resultado da prática profissional quando as condições económicas possibilitaram a adição de cais às argamassas vernáculas só de terra, que são susceptíveis à ação da água. Em estudos anteriores verificou-se que a adição de baixos teores de cal aérea a argamassas de terra de cor escura, embora tornem as argamassas resistentes à água, conduzem a alterações da sua cor para tom mais claro e redução de resistências mecânicas. Neste estudo avalia-se o efeito que substituições de cal aérea por uma terra local caulinítica apresentam em argamassas de cal ao traço volumétrico 1:2, correspondendo a argamassas com traço em massa de 1:8, com substituições de 10% a 50%. As argamassas têm, pela sua formulação, menor energia incorporada e demonstram ser adequadas para aplicação em rebocos de edifícios antigos e mesmo em construção nova com características compatíveis. Os resultados da caracterização mecânica, física e por ataque de sulfatos foram positivos para uma substituição de 10%, variando percentualmente entre propriedades, mas muito há ainda a investigar para um conhecimento aprofundado deste tipo de argamassas mistas de cal e terra, muito utilizadas no passado, com vista à otimização de formulações que possam vir a ser aplicadas correntemente.

Palavras-chave


Cal aérea; Terra argilosa; Argamassa; Alvenaria; Reboco; Refechamento de juntas

Texto completo:

HTML




Direitos autorais 2018 Ambiente Construído

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Indexado em: