Impacto da vegetação nos microclimas urbanos e no conforto térmico em espaços abertos em função das interações solo-vegetação-atmosfera

Paula Shinzato, Denise Helena Silva Duarte

Resumo


Este estudo é parte de uma investigação sobre o impacto da vegetação nos microclimas urbanos, abaixo do dossel, em função das interações solo-vegetação-atmosfera. Esta pesquisa teve como objetivos: (1) quantificar o impacto da vegetação por meio de medições microclimáticas; (2) fazer uso do modelo preditivo ENVI-met 3.1 para simular o efeito microclimático da vegetação com diferentes características; (3) quantificar o impacto no conforto humano, com a aplicação do índice de conforto externo TEP -Temperatura Equivalente Percebida. O método é indutivo, por meio de medições de campo realizadas no Parque Tenente Siqueira Campos (Trianon), na cidade de São Paulo, com o registro de dados microclimáticos por duas estações meteorológicas dentro do parque e o levantamento de dados de estações fixas externas ao parque, além das variáveis do dossel arbóreo e do solo; e dedutivo, após a calibração entre dados medidos e simulados pelo modelo ENVI-met 3.1 e simulações de um mesmo cenário, variando-se as características do dossel. Dois métodos não destrutivos indiretos foram utilizados para estimar o índice de área foliar (IAF): com o equipamento LAI-2000 e pós-processamento de fotos hemisféricas. Dentre todas as variáveis medidas e simuladas, os valores da temperatura radiante média são os mais impactados sob o dossel da vegetação arbórea, influenciando diretamente o conforto térmico.


Palavras-chave


vegetação urbana, índice de área foliar, ENVI-met

Texto completo:

HTML




Direitos autorais 2018 Ambiente Construído

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Indexado em: