Framework de avaliação da complexidade de projetos em portfólios de engenharia civil

Alessandro Prudêncio Lukosevicius, Carlos Alberto Soares, Luiz Antônio Joia

Resumo


A importância da complexidade para o desempenho dos negócios tem ganhado reconhecimento acadêmico e gerencial. A navegação de forma efetiva na complexidade é um diferencial para as organizações, incluindo as temporárias (projetos). Portanto, um melhor entendimento da complexidade em projetos e suas aplicações mostra-se necessário. No entanto, a literatura científica é carente de modelos para avaliar a complexidade nas organizações, especialmente, na área de construção civil. Assim, o objetivo deste artigo exploratório foi propor um modelo para avaliar a complexidade de projetos em portfólios de engenharia civil. O modelo foi criado a partir dos fatores de complexidade em projetos de engenharia identificados pela revisão bibliográfica, tratados pela técnica para tomada de decisão ANP (Analytic Network Process) e suportados pela Teoria da Complexidade. Como resultado, o modelo MID (multiplicidade, interdependência, diversidade) criado foi aplicado em um exemplo para priorizar o portfólio de projetos de uma empresa de construção civil. A pesquisa sugere que o modelo MID é mais amplo (avalia qualquer tipo de projeto), mais simples (estrutura mais enxuta) e mais diversificado (calcula a complexidade relativa e total) que o TOE Framework para priorização de portfólios na área de engenharia civil.


Palavras-chave


Projetos complexos; Teoria da complexidade; Analytic Network Process (ANP); Gerenciamento de portfólio; Métodos de tomada de decisão

Texto completo:

HTML




Direitos autorais 2017 Ambiente Construído

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Indexado em: