As estratégias de influência dos stakeholders nas organizações da indústria da construção civil: setor de edificações em balneário Camboriú – SC

Valmir Emil Hoffmann, José Ademar Procopiak Filho, Carlos Ricardo Rossetto

Resumo


A literatura sobre o tema da estratégia organizacional vem salientando a importância para a empresa do conhecimento acerca de seus stakeholders e da relevância do atendimento de suas expectativas organizacionais. Nesse contexto, apresenta-se este estudo, que tem o objetivo de identificar os stakeholders, seus graus de influência e as estratégias de influência que podem ser adotadas na interação com as organizações da indústria da construção civil – setor de edificações (ICC-SE) em Balneário Camboriú, SC. O estudo, predominantemente quantitativo, apontou como resultado 25 stakeholders do ambiente externo e 4 do ambiente interno. Os stakeholders mais importantes do ambiente externo que usam estratégias de influência são os clientes, os fornecedores de concreto, os fornecedores de mão-de-obra, os fornecedores de aço e os proprietários de terrenos para edificação. Por outro lado, os stakeholders mais influentes do ambiente interno que utilizam estratégias de influência são os funcionários, os engenheiros, os sócios e os arquitetos. O grau de interdependência dos fornecedores de concreto, aço, elevadores, cerâmica, proprietários do terreno e funcionários, incluindo engenheiros, arquitetos e sócios, é mais alto com a empresa e pode-se aplicar a estratégia “uso direto”. Os demais stakeholders têm baixa influência e podem aplicar a estratégia “retenção direta”.

Palavras-chave


Estratégia Organizacional; Teoria dos Stakeholders; Indústria da Construção Civil; Ambiente organizacional

Texto completo:

PDF




Direitos autorais 2016 Ambiente Construído

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Indexado em: