Avaliação da submedição de água em edificações residenciais unifamiliares: o caso das unidades de interesse social localizadas em Campinas, no estado de São Paulo

Leonel Gomes Pereira, Marina Sangoi de Oliveira Ilha

Resumo


Estima-se que atualmente no Brasil cerca de 8% a 23% do volume de água potável produzido seja perdido em função da submedição. Em sistemas de abastecimento indireto, é comum a ocorrência de baixas vazões, devido à utilização de válvulas de bóia convencionais. Este trabalho apresenta um estudo de caso desenvolvido com o objetivo de determinar o volume não contabilizado (perdas) por submedição, identificar suas causas e obter, assim, subsídios necessários à proposição de medidas que conduzam à otimização da medição de água. Contempla duas etapas: uma investigação em campo e uma investigação laboratorial. A coleta de dados em campo foi efetuada mediante a instalação de medidores volumétricos em série com os medidores das edificações selecionadas e aferição dos medidores em faixas de vazão determinadas. A investigação laboratorial foi efetuada para a verificação do comportamento de uma torneira de bóia convencional e de uma de alta vazão ante uma mesma situação de abastecimento, avaliando-se a ocorrência da submedição. O estudo permitiu verificar o volume de água não contabilizado pelo hidrômetro, e ampliar o conhecimento sobredo comportamento das vazões no setor de abastecimento abordado. Foi , a determinado ção doum indicador de consumo das residências investigadas e realizada a avaliação dos medidores instalados quanto à precisão da medição, identificando as perdas por submedição, além da verificação do comportamento das torneiras de bóia.

Palavras-chave


Medição de água; Hidrômetro; Erro de medição; Submedição; Torneira de bóia

Texto completo:

PDF




Direitos autorais 2016 Ambiente Construído

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Indexado em: