Análise da aplicação de galerias técnicas em área integrante da operação urbana Água Branca, em São Paulo

Luis Henrique Lancellotti Zapparolli Pupin, Karin Regina de Casas Castro Marins

Resumo


As redes que constituem os sistemas de infraestrutura urbana são, em geral, implantadas e geridas de forma isolada, sendo raramente consideradas em seu conjunto. Consequentemente, o espaço disponível no subsolo urbano tem sido reduzido, a ponto de congestionar e desorganizar sua ocupação. Nesse contexto, o presente artigo analisa e discute alternativas para a organização das redes de infraestrutura no subsolo urbano, considerando as galerias técnicas comparativamente às valas comuns. Galerias técnicas são túneis que reúnem as redes de vários serviços técnicos urbanos. A análise foi baseada na aplicação de parâmetros selecionados no caso da operação urbana Água Branca, área em desenvolvimento localizada no município de São Paulo. Os resultados mostram que as galerias técnicas representam, do ponto de vista físico e urbanístico, um meio estruturado para ocupação do subsolo e da superfície, caracterizando-se por uma alternativa eficiente, organizada e segura para a distribuição dos serviços técnicos urbanos. Do ponto de vista econômico, as galerias técnicas apresentam elevado custo inicial para implantação, o que as torna pouco viáveis quando analisadas somente sob esse critério. Em uma perspectiva de ciclo de vida, representam uma solução atraente, pelos menores custos operacionais e impactos envolvidos com a manutenção e a expansão de redes urbanas inseridas nos túneis de utilidades.

Este artigo caracteriza e discute alternativas para a organização das redes de infraestrutura no subsolo urbano, segundo uma análise multicriterial. São identificadas e analisadas vantagens e desvantagens da alocação das redes subterrâneas segundo uma solução alternativa baseada em galerias técnicas, que reúnem, em túneis, redes de vários serviços técnicos urbanos, comparando-a com a solução em valas, maneira usual de disposição das redes no subsolo urbano.

Indicadores selecionados foram aplicados no caso da operação urbana Água Branca, área em redesenvolvimento localizada no município de São Paulo. Do ponto de vista físico e urbanístico, as galerias técnicas representam um meio estruturado para ocupação do subsolo e da superfície, considerando eficiência, organização e segurança. No que tange à análise econômica, as galerias técnicas apresentam elevado custo inicial de implantação, tornando-as pouco viáveis quando somente analisadas sob essa condição. Em uma perspectiva de ciclo de vida, representam uma solução atraente, pelos menores custos operacionais e impactos envolvidos com manutenção e expansão de redes urbanas.

Palavras-chave


Galerias técnicas; subsolo urbano, engenharia urbana, serviços públicos urbanos

Texto completo:

PDF




Direitos autorais 2016 Ambiente Construído

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Indexado em: