Análise microclimática de um edifício histórico em clima temperado: limites sustentáveis para a correta conservação dos materiais

Autores

  • Hugo Entradas Silva Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa
  • Fernando Manuel Anjos Henriques Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa

Palavras-chave:

Conservação preventiva, microclima, temperatura, humidade relativa, edifícios históricos, inércia térmica.

Resumo

Apesar da reconhecida importância conferida ao estudo microclimático em edifícios históricos para a correta conservação de suas coleções e objetos de relevância histórica e cultural, o conhecimento acerca de seu comportamento em climas temperados é ainda reduzido. Ao longo das últimas décadas surgiram diferentes especificações focadas nas necessidades higrotérmicas dos materiais. Nesse campo, a abordagem dinâmica, baseada no microclima histórico, gerou um amplo consenso entre os especialistas, como meio de alcançar intervalos sustentáveis de temperatura e umidade relativa. Este estudo visou classificar de forma clara o microclima interior de um edifício histórico em clima temperado – Igreja de São Cristóvão, em Lisboa –, com o objetivo de verificar a qualidade microclimática para a conservação dos materiais e validar possíveis alterações. Para tal, utilizou-se um sistema de monitoramento continuo entre novembro de 2011 e agosto de 2013, com registros a cada 10 min, utilizando-se diversos sensores de temperatura e umidade relativa. O microclima foi classificado de acordo com a especificação ASHRAE – Handbook HVAC Applications, Chapter 21: Museums, galleries, archives and libraries. Constatou-se elevada estabilidade climática natural, que não justifica a implementação de sistemas de climatização.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Hugo Entradas Silva, Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa

Hugo Entradas Silva é engenheiro civil e estudante de doutoramento na Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidad Nova de Lisboa (bolseiro de doutoramento da Fundação para a Ciência e Tecnologia ao abrigo do programa EcoCoRe - PD/BD/52654/2014), onde estuda o comportamento microclimático e limitações higroérmicas de edifícios antigos.

Concluiu o seu mestrado em Construção em 2012 (FCT/UNL), tendo posteriormente efectuado um estágio de investigação no Brasil (FEB-UNESP) e um outro em Itália. No ano lectivo de 2013/2014 desempenhou a função de Assistente Convidade no Departamento de Engenharia Civil da FCT/UNL.

Fernando Manuel Anjos Henriques, Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa

Professor Catedrático no Departamento de Engenharia Civil - Secção de Construção

Downloads

Publicado

2015-04-14

Edição

Seção

Artigos