Quando a janela define a condição de desempenho térmico em ambientes ventilados naturalmente: caso específico das edificações multifamiliares em Vitória, ES

Edna Aparecida Nico-Rodrigues, Cristina Engel de Alvarez, Amábeli Dell Santo, Maria Beatriz Piderit

Resumo


A adoção de diretrizes para o condicionamento térmico passivo auxilia na minimização do consumo de energia de uma edificação, principalmente quando associada a componentes construtivos com características térmicas adequadas às estratégias previstas. Entre tais estratégias, para climas tropicais úmidos, a ventilação assume fundamental importância. Este trabalho tem por objetivo avaliar a influência da janela no desempenho térmico em edificações residenciais multifamiliares na cidade de Vitória, ES, considerando dois modelos de janelas com ênfase na ventilação natural. Foram estabelecidas três etapas: caracterização dos modelos usuais nas edificações multifamiliares; definição do método para análise do desempenho térmico em ambientes ventilados naturalmente com o modelo usual, considerando a frequência de desconforto térmico e os graus-hora de desconforto térmico para a estação do verão; e simulações com o software DesignBuilder. Para o diagnóstico final foi adotada a flutuabilidade entre a frequência de desconforto térmico e o grau-hora de desconforto térmico caracterizando o desempenho térmico do ambiente para o favorecimento do conforto térmico. A avaliação demonstrou que a janela usual em Vitória é ineficiente para a obtenção de conforto térmico considerando a ventilação natural como condicionamento térmico passivo.


Palavras-chave


Ambiente construído; arquitetura; componente construtivo

Texto completo:

PDF




Direitos autorais 2016 Ambiente Construído

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Indexado em: