Avaliação da resistência química de concretos poliméricos em ambientes agressivos

Jane Proszek Gorninski, Claudio de Souza Kazmierczak

Resumo


Este trabalho apresenta uma avaliação da resistência química de concretos poliméricos. Para o presente estudo foram utilizados dois tipos de resinas poliéster insaturadas, uma isoftálica e outra ortoftálica. Os aglomerantes foram utilizados em quatro diferentes concentrações, totalizando oito composições químicas de concretos. As amostras foram submetidas a soluções alcalinas e salinas freqüentemente responsáveis por processos corrosivos em ambientes industriais. Todas as composições em estudo não sofreram alterações físicas em suas superfícies e nem mesmo perda de massa significativa. Constatou-se diminuição da resistência à tração na flexão das amostras submetidas aos meios agressores, entretanto, mesmo nas amostras cuja resistência sofreu maiores decréscimos, os valores remanescentes são muito maiores do que aqueles observados, usualmente, em concretos produzidas com cimento Portland. Por intermédio de análise estatística, constatou-se que o tipo de resina, o teor de resina e o tipo de solução exercem efeito significativo sobre a resistência química dos concretos poliméricos em estudo.

Palavras-chave


Resina poliéster; Concreto polímero; Resistência mecânica; Durabilidade

Texto completo:

PDF




Direitos autorais 2016 Ambiente Construído

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Indexado em: