Vida útil de concretos brancos quando inseridos em ambiente com cloretos: a influência do cimento e do coeficiente de difusão

Ana Carina Rizzon, Jairo José de Oliveira Andrade

Resumo


A corrosão de armaduras devido à ação dos íons cloreto (Cl-) é um dos principais problemas que ocorrem nas estruturas de concreto armado, diminuindo a durabilidade dessas estruturas. A durabilidade pode ser expressa numericamente pela vida útil, e as soluções da 2ª Lei de Fick são bastante utilizadas para esse propósito. Neste trabalho realizou-se um estudo da aplicabilidade da solução da função de erro em concretos moldados com um CP B e um CP IV. Foram produzidos concretos a partir de três relações a/c (0,4; 0,5; 0,6), submetidos aos ensaios de resistência à compressão e de penetração de cloretos, com duração de 6 meses. Os concretos de CP B apresentaram maiores valores de resistência à compressão que os concretos de CP IV, mas também maiores valores de coeficiente de difusão (D). Verificou-se a diminuição de D ao longo do período estudado para os dois tipos de cimento, o que resultou no aumento da vida útil de projeto dos concretos analisados. Como tal variação não é contemplada pela solução da função de erro, esta não representa adequadamente as transformações que ocorrem em uma estrutura com o decorrer do tempo, e a vida útil estimada não corresponde àquela que a estrutura virá a ter.

Palavras-chave


Vida útil; Cimento Portland branco; Cloretos; Coeficiente de difusão

Texto completo:

PDF




Direitos autorais 2016 Ambiente Construído

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Indexado em: