Diagnóstico ergonômico da movimentação de andaimes suspensos mecânicos

Tarciso Abreu Saurin, Fábio Rodrigues Andrade, Lia Buarque de Macedo Guimarães, Fernanda Nepomuceno Costa

Resumo


Embora o trabalho em andaimes suspensos seja normalmente associado a acidentes com lesões traumáticas, a operação desses equipamentos também pode ocasionar doenças ocupacionais causadas por esforço físico excessivo. Neste contexto, foi realizado um diagnóstico ergonômico da operação de andaimes suspensos mecânicos leves e pesados (as principais diferenças entre ambos se referem à quantidade de catracas e dimensões). O diagnóstico baseou-se em cinco critérios: percepções dos trabalhadores a respeito das condições de trabalho, avaliação da carga física postural, avaliação da carga fisiológica, estimativa da velocidade de movimentação dos andaimes e estimativa da repetitividade de movimentos na operação das catracas. Embora os trabalhadores tenham apontado preferência pelos andaimes leves, uma vez que estes podem ser movimentados até sete vezes mais rápido que os pesados, os resultados indicaram que a operação de ambos os tipos apresenta demanda física excessiva dos trabalhadores. Entre as causas dessa situação, podem ser destacadas falhas na concepção dos andaimes e a falta de consideração de requisitos ergonômicos nas exigências da NR-18.

Palavras-chave


Andaimes Suspensos; Ergonomia; Esforço Físico; Posturas; Segurança do Trabalho; Saúde no Trabalho

Texto completo:

PDF




Direitos autorais 2016 Ambiente Construído

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Indexado em: