Estratégias ambientais para indústrias de cerâmica vermelha do Estado do Rio Grande do Sul

Giane de Campos Grigoletti, Miguel Aloysio Sattler

Resumo


No Brasil, existem poucos estudos que avaliam impactos ambientais relacionados à produção de materiais de construção. Tais estudos são fundamentais para a definição de requisitos voltados ao desempenho ambiental e social dos materiais de construção. Este artigo discute os principais impactos ambientais e sociais associados à produção de tijolos, blocos e telhas, no estado do Rio Grande do Sul (RS), apontando estratégias que podem
ser adotadas pelo setor para melhorar seu impacto no meio ambiente e na comunidade onde as indústrias estão inseridas. Foram desenvolvidos múltiplos-estudos de caso,
envolvendo oito empresas do setor de pequeno, médio e grande porte, nas quais foram levantados dados sobre matéria-prima, energético utilizado, geração de resíduos, fontes de emissões de CO2 e condições de trabalho. Constatou-se que o setor de cerâmica vermelha no RS vem realizando um conjunto de iniciativas relacionadas à redução do seu impacto ambiental, tais como o uso de resíduos como insumo e o uso de energia renovável.
Entretanto, observou-se também a necessidade de diminuir perdas no processo de produção, bem como de melhorar as condições de trabalho e a organização do processo de produção.

Palavras-chave


indústria cerâmica; impactos ambientais e sociais; materiais de construção

Texto completo:

PDF




Direitos autorais 2016 Ambiente Construído

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Indexado em: