Análise do emprego de armaduras treliçadas planas como alternativa tecnológica para a execução de vergas em alvenaria estrutural

Autores

  • Fabiana Martins de Rezende Laboratório de Materiais de Construção Civil, Universidade Federal de Santa Maria, Avenida Roraima, Prédio 07, Centro de Tecnologia, Santa Maria, RS.
  • Gihad Mohamad Universidade Federal de Santa Maria - UFSM Centro de Tecnologia - Sala 228 Departamento de Estruturas e Construção Civil e-mail: gihad.civil@gmail.com gihad@ufsm.br Fone: (55) 9167-6628
  • Guilherme Aris Parsekian Coordenador do Laboratório de Sistemas Estruturais Universidade Federal de São Carlos - UFSCar Rodovia Washington Luís (SP-310), km 235 CEP 13565-905- São Carlos - São Paulo - Brasil Tel.: +55 (16) 3351-9657 Fax.: +55 (16) 3351-8262 Cel.: +55 (16) 9716-1869
  • Eduardo Rizzatti Universidade Federal de Santa Maria - UFSM Centro de Tecnologia Departamento de Estruturas e Construção Civil
  • Emil de Souza Sánches Filho Departamento de Engenharia Civil, Universidade Federal Fluminense, Campus da Praia Vermelha, rua Passo da Pátria, 156, São Domingos, Niterói, RJ.

Palavras-chave:

Alvenaria estrutural, Vergas, Treliças MURFOR, Blocos cerâmicos.

Resumo

Esse trabalho tem por objetivo avaliar o comportamento mecânico de vergas em alvenaria estrutural, executadas com blocos cerâmicos vazados, treliças planas e grampos verticais. O programa experimental consistiu na confecção de três modelos de vergas: vergas grauteadas, com armadura de flexão nas canaletas da abertura; vergas com blocos estruturais vazados e treliças planas; e vergas armadas com treliças planas e grampos verticais. Os resultados dos ensaios indicaram que as rupturas ocorreram por influência das tensões de cisalhamento, com fissuras inclinadas e esmagamentos na parte superior dos blocos. Os modelos grauteados resistiram a cargas maiores em relação aos demais. Contudo, os modelos com treliças planas e grampos verticais suportaram intensidades de forças maiores em relação apenas aos com treliças planas. O esforço cortante último resistido pelas vergas grauteadas foi inferior ao calculado a partir das recomendações da 15812-1 (ABNT, 2010) e NBR 15961-1 (ABNT, 2011). A verificação do esforço cortante último resistido pelas vergas com treliças planas e dos modelos com treliças planas e grampo, admitindo os mesmos limites de resistência ao cisalhamento estabelecido para as vergas grauteadas, permitiu concluir que, para o dimensionamento de vergas armadas na junta de assentamento, esses limites não podem ser aplicados, resultando em menores resistências.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fabiana Martins de Rezende, Laboratório de Materiais de Construção Civil, Universidade Federal de Santa Maria, Avenida Roraima, Prédio 07, Centro de Tecnologia, Santa Maria, RS.

possui graduação em Engenharia Civil pela Universidade Federal de Santa Maria (2006) , curso-tecnico-profissionalizante em Técnico em informática pela Universidade da Região da Campanha (2000) e ensino-medio-segundo-grau pela Universidade da Região da Campanha (2000) . Atuando principalmente nos seguintes temas: ALVENARIA ESTRUTURAL, Vergas, Armaduras tipo Murfor.

Gihad Mohamad, Universidade Federal de Santa Maria - UFSM Centro de Tecnologia - Sala 228 Departamento de Estruturas e Construção Civil e-mail: gihad.civil@gmail.com gihad@ufsm.br Fone: (55) 9167-6628

possui graduação em Engenharia Civil pela Universidade Federal de Santa Maria (1996), mestrado em Engenharia Civil pela Universidade Federal de Santa Catarina (1998) e doutorado em Engenharia Civil pela Universidade do Minho (2007). Atualmente é Professor Adjunto da Universidade Federal do Pampa (UNIPAMPA). Tem experiência na área de Engenharia Civil, com ênfase em Alvenaria Estrutural e Concreto Armado. Atua principalmente nos seguintes temas: alvenaria estrutural, argamassas mistas, construção civil, análise não-linear de estruturas com elementos de interface, blocos de concreto, pavimentos em concreto e argamassas de assentamento.

Guilherme Aris Parsekian, Coordenador do Laboratório de Sistemas Estruturais Universidade Federal de São Carlos - UFSCar Rodovia Washington Luís (SP-310), km 235 CEP 13565-905- São Carlos - São Paulo - Brasil Tel.: +55 (16) 3351-9657 Fax.: +55 (16) 3351-8262 Cel.: +55 (16) 9716-1869

possui graduação em Engenharia Civil pela Universidade Federal de São Carlos (1993), mestrado, com distinção, em Engenharia de Estruturas pela Universidade de São Paulo (1996), doutorado em Engenharia Civil pela Universidade de São Paulo (2002), pós-doutorado pela UFSCar (2002-2006) e pela University of Calgary - Canada (2006-2008). Atualmente é professor adjunto da Universidade Federal de São Carlos. Tem atuação também como professor de cursos de especialização e de atualização. É membro do corpo-editorial ou revisor de revistas nacionais e internacionais como ACI Structural/Materials Journal, Revista Prisma, Revista Ambiente Construído, Concreto e Construções do IBRACON. Autor de vários livro na área de engenharia e CAD. Também é membro de comitês de normas brasileiros (ABNT) e norte-americano (Masonry Standards Joint Committee 2008-2011). Têm experiencia na área de engenharia civil, particularmente na área de projetos, alvenaria estrutural e estruturas de concreto, com diversas consultorias realizadas nesses temas.

Eduardo Rizzatti, Universidade Federal de Santa Maria - UFSM Centro de Tecnologia Departamento de Estruturas e Construção Civil

Possui graduação em Engenharia Civil pela Universidade Federal de Santa Maria (1982), mestrado em Engenharia Civil pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1986) e doutorado em Engenharia Civil pela Universidade Federal de Santa Catarina (2003). Atualmente é professor adjunto da Universidade Federal de Santa Maria e Diretor do Centro de Tecnologia na mesma Universidade. Tem experiência na área de Engenharia Civil, com ênfase em Estruturas de Concreto, atuando principalmente nos seguintes temas: alvenaria estrutural, estruturas de concreto armado, elementos finitos, análise de tensões e madeira.

Emil de Souza Sánches Filho, Departamento de Engenharia Civil, Universidade Federal Fluminense, Campus da Praia Vermelha, rua Passo da Pátria, 156, São Domingos, Niterói, RJ.

graduado em Engenharia Civil pela Universidade Federal de Juiz de Fora (1976) com curso de Especialização em Concreto Protendido (1976), mestrado em Engenharia Civil pela COPPE-Universidade Federal do Rio de Janeiro (1988) e doutorado em Engenharia Civil pela COPPE-Universidade Federal do Rio de Janeiro (1992). Pesquisador visitante da T.U. Braunschweig/Alemanha. Ex-professor da Universidade Federal de Juiz de Fora, é atualmente professor Associado da Universidade Federal Fluminense, membro do ACI, PCI, FIB, IABSE, IBRACON e ABCM, ex-secretário da divisão técnica de estruturas - Clube de Engenharia e da Associação Brasileira de Pontes e Estruturas, e editor da revista Engenharia Estudo e Pesquisa. Tem experiência na área de Engenharia Civil, com ênfase em Estruturas de Concreto, atuando principalmente nos seguintes temas: concreto estrutural, modelos de bielas e tirantes, reforço estrutural, torção e estruturas de concreto e mecânica dos sólidos. Publicou mais de 180 trabalhos (artigos em congressoes e periódicos, 3 livros, capítulos de livros e teses).

Downloads

Publicado

2012-12-22

Edição

Seção

Artigos