Iluminação natural: indicações de profundidade-limite de ambientes para iluminação natural no Regulamento Técnico da Qualidade do Nível de Eficiência Energética de Edifícios Residenciais – RTQ-R

Milena Sampaio Cintra de Albuquerque, Cláudia Naves David Amorim

Resumo


A iluminação natural, além de ser importante recurso para promover bem-estar e qualidade ambiental, tem impacto relevante na redução do uso de energia. O Regulamento Técnico da Qualidade do Nível de Eficiência Energética de Edifícios Residenciais (RTQ-R) foi publicado no Brasil em agosto de 2010, dando sequência ao Programa Brasileiro de Etiquetagem do Inmetro voltado para edificações. Com relação a aspectos bioclimáticos da arquitetura dos edifícios, tais como iluminação natural, buscou-se desenvolver alguns pré-requisitos e bonificações para os ambientes, de forma que esses aspectos fossem considerados na avaliação de edificações residenciais. Neste artigo, apresentam-se o método e os resultados que geraram as indicações relativas à bonificação de iluminação natural presentes no Regulamento. O método utilizado incluiu 336 simulações computacionais dinâmicas com o software DaySim, com o objetivo de investigar a influência de variáveis arquitetônicas no desempenho da iluminação natural, mais especificamente a profundidade dos ambientes e as proteções solares. As simulações foram realizadas para 11 cidades brasileiras, abarcando 11 diferentes latitudes e 4 zonas bioclimáticas (ZB 1 , ZB 3, ZB 4 e ZB 4). Os resultados geraram indicações sobre a profundidade-limite de ambientes, que foram adotadas como parâmetros para concessão da bonificação de iluminação natural no RTQ-R.

Palavras-chave


Iluminação natural; Profundidade de ambientes; RTQ-R; Bonificações

Texto completo:

PDF




Direitos autorais 2016 Ambiente Construído

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Indexado em: