A programação arquitetônica sob a ótica da ergonomia: um estudo de caso no setor público

Autores

  • Claudia Bartolo Patterson Conselho da Justiça Federal
  • Júlia Issy Abrahão Universidade de Brasília

Palavras-chave:

Arquitetura, Ergonomia, Programação arquitetônica, Análise ergonômica do trabalho

Resumo

A falta de correspondência entre o ambiente construído e o uso de edifícios destinados ao Judiciário brasileiro sugere a dificuldade dos arquitetos em atender, nos seus projetos, os requisitos qualitativos e quantitativos das necessidades dos servidores e da organização. A associação da abordagem da ergonomia da atividade à programação arquitetônica foi realizada para atender à demanda de um novo edifício sede para um órgão judicial. O presente artigo pretende definir parâmetros, fundamentados em procedimentos metodológicos, como suporte para o processo de programação. A equipe multidisciplinar envolvida com a investigação facilitou a articulação das diferentes etapas da análise ergonômica do trabalho. A formação de grupos focais possibilitou a coleta dos dados por meio das representações dos servidores das diferentes unidades do órgão. A definição de módulos de áreas, fundamentada nos dados coletados, permitiu que elementos qualitativos fossem incorporados no projeto. Ressalta-se a importância do tema na para a consideração dos edifícios projetados para o setor público.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Claudia Bartolo Patterson, Conselho da Justiça Federal

Arquiteta da Assessoria de Gestão de Obras

Júlia Issy Abrahão, Universidade de Brasília

Instituto de Psicologia -Departamento de Psicologia Social e do Trabalho

 

Downloads

Publicado

2011-08-08

Edição

Seção

Artigos