Comparação cruzada entre pesquisas laboratoriais e de campo em conforto térmico em espaços abertos urbanos

Leonardo Marques Monteiro, Marcia Peinado Alucci

Resumo


Este artigo apresenta uma comparação cruzada entre pesquisas laboratoriais e de campo em conforto térmico em espaços abertos urbanos. O objetivo da pesquisa é verificar comparativamente os resultados de bases empíricas laboratoriais e de campo, estabelecidas na cidade de São Paulo. Para tanto, consideram-se modelos preditivos desenvolvidos, adaptados ou utilizados em pesquisas de conforto térmico em espaços abertos. Ao mesmo tempo, verificam-se comparativamente os referidos modelos, com indicação de uso daqueles que apresentaram resultados mais significativos para diferentes aplicações. O método utilizado é empírico-indutivo, por meio de coleta de dados laboratoriais e levantamentos em campo (variáveis microclimáticas, pessoais e subjetivas), apoiado por método teórico-dedutivo, por meio de simulações computacionais (29 índices referentes a 20 modelos preditivos). Verificou-se que os resultados das respostas de percepção de sensação térmica apresentam-se menos predizíveis no Bairro da Luz (levantamento de campo) do que na Cidade Universitária (coleta laboratorial). Com relação aos índices, o índice de carga térmica, a temperatura equivalente percebida e a nova temperatura efetiva corrigida foram os que apresentaram resultados mais significativos, sendo indicada a aplicação para cada um deles.

Palavras-chave


Conforto térmico; Espaços abertos; Modelos preditivos

Texto completo:

PDF




Direitos autorais 2016 Ambiente Construído

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Indexado em: