A especificação do desempenho e vida útil dos sistemas de pintura externa de acordo com a norma brasileira de desempenho – NBR 15575

Autores

  • Mateus Flores Bordin Faculdade Meridional - IMED
  • Elvira Maria Vieira Lantelme Faculdade Meridional - IMED
  • Marcelo Fabiano Costella Universidade Comunitária da Região de Chapecó e Faculdade Meridional - IMED

Palavras-chave:

Sistemas de pintura, Especificação de desempenho, NBR 15575, Vida útil, Manutenção.

Resumo

O objetivo do artigo é identificar e expor as barreiras e dificuldades na determinação e especificação do desempenho e vida útil dos sistemas de pintura externa de acordo com as exigências da NBR 15575. O método de pesquisa consistiu na verificação dos catálogos digitais e fichas técnicas disponibilizados pelos fabricantes das tintas, entrevistados projetistas responsáveis pela especificação dos documentos técnicos de edificação, averiguados os manuais de uso, operação e manutenção dos incorporadores. Após, elaborou-se um artefato denominado de mapa mental para ser utilizado pelos fornecedores, projetistas, construtores e usuários. Dentre os resultados, os fabricantes não especificaram a vida útil de seus produtos e os projetistas especificaram de forma prescritiva, relacionando tal prática à falta de informações de desempenho dos produtos. Os prazos estipulados pelos construtores nos manuais para execução da repintura das superfícies estão em desacordo com a vida útil mínima exigida pela norma de desempenho. O mapa mental representou a interligação entre os intervenientes do sistema de pintura externa, evidenciando os processos que não atendem às normas e que contribuem para que as tarefas subsequentes da cadeia executiva não atendam aos requisitos de desempenho.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2021-08-09

Edição

Seção

Artigos