Influência das dimensões dos descolamentos de revestimentos cerâmicos na avaliação com termografia de infravermelho

Diandra Tanaka, Elier Pavon

Resumo


A termografia de infravermelho constitui atualmente uma importante ferramenta nas inspeções de edifícios, principalmente na identificação e no diagnóstico de patologias em revestimentos argamassados e cerâmicos. No caso da avaliação de revestimentos cerâmicos com termografia de infravermelho, verifica-se que existem ainda muitas dúvidas em relação ao comportamento do Delta T, principal parâmetro utilizado na análise das patologias nos termogramas, devido à influência do tipo e das dimensões das manifestações patológicas estudadas com essa técnica. Nesse contexto, o presente estudo analisou a influência das dimensões de descolamentos em revestimentos cerâmicos na avaliação termográfica. Para tal fim, foi construído um protótipo de alvenaria com revestimento cerâmico onde foi simulada a presença de descolamentos, sendo o protótipo avaliado em ambiente externo em diferentes orientações solares, num período de 4 dias em 3 anos consecutivos. Os resultados mostraram que os máximos valores de Delta T na inspeção termográfica foram obtidos nos momentos de máximo crescimento da temperatura da superfície revestida nas quatro orientações solares. Após a análise estatística, concluiu-se que diferenças na largura e, consequentemente, na área dos defeitos terão maior probabilidade de ser detectadas, o que facilita a avaliação do desempenho de sistemas de revestimento cerâmico externos com a termografia de infravermelho.


Palavras-chave


termografia infravermelha, patologia, descolamento, revestimento, cerâmico

Texto completo:

HTML




Direitos autorais 2021 Ambiente Construído

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Indexado em: