O conflito entre as autoridades religiosas e laicas e o direito medieval: os casos de excomunhão do ‘Livro das Confissões’ de Martim Perez – Cód. Alc. 377-378

Autores

  • Marcos Schulz UFRGS

Palavras-chave:

Península Ibérica, Século XIV, Direito eclesiástico

Resumo

Autoridades eclesiásticas e autoridades laicas à serviço do poder centralizador monárquico disputaram nos pergaminhos e manuscritos a autonomia de valores das instituições que incorporavam. Disputa essa que se dava no campo da justiça e do direto, deixando entrever os projetos de organização da sociedade que estavam em jogo. Dessas questões emerge a literatura canônica que serve de base para Martim Perez escrever seu ‘Livro das confissões’, obra penitencial muito influente na Península Ibérica durante os séculos XIV e XV. Os casos de sentença de excomunhão ali previstos dão uma clara ideia de como crescia a preocupação das intervenções laicas em questões de doutrina religiosa, num momento em que o Estado se armava de um aparato jurídico crescente. A Igreja Católica procurava se defender da extinção de privilégios e imunidades, e a sentença de excomunhão podia ser usada para equilibrar um pouco as coisas

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2009-06-26

Como Citar

SCHULZ, M. O conflito entre as autoridades religiosas e laicas e o direito medieval: os casos de excomunhão do ‘Livro das Confissões’ de Martim Perez – Cód. Alc. 377-378. Revista Aedos, [S. l.], v. 2, n. 2, 2009. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/aedos/article/view/9864. Acesso em: 24 maio. 2022.