Superstições, pecado e níveis de cultura na Idade Média

Autores

  • Lucas La-Bella Costa UFRGS

Palavras-chave:

Século XIII, Dominicanos, Superstição/Crença, Santidade oficial/local.

Resumo

O artigo examina um excerto escrito pelo bispo dominicano Étienne de Bourbon que narra a adoração do Cão de Guinefort. Para a interpretação do que é descrito pelo clérigo são expostas noções das diferentes concepções do que era superstição, utilizando principalmente Santo Agostinho e São Tomás de Aquino. A procedência do culto e das superstições é discutida, assim como os níveis de cultura envolvidos, com a identificação de um nível comum e intermediário e das relações constituídas. Também é estabelecida uma relação entre as superstições e o pecado, e algumas das consequências da obrigatoriedade das confissões. Com estas análises, este trabalho retrata certas características da religiosidade e da religião no século XIII.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2009-06-26

Como Citar

COSTA, L. L.-B. Superstições, pecado e níveis de cultura na Idade Média. Revista Aedos, [S. l.], v. 2, n. 2, 2009. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/aedos/article/view/9863. Acesso em: 23 maio. 2022.