Avaliação quantitativa da expressão da proteína PCNA e das AgNORs em ameloblastomas

Júlio César Munerato, Pantelis Varvaki Rados, Onofre Francisco de Quadros, João Jorge Diniz Barbachan, Manoel Sant'Ana Filho

Abstract


Com a finalidade de observar o comportamento proliferativo do epitélio de ameloblastomas, selecionamos nove casos desta neoplasia do Laboratório de Patologia Bucal da Faculdade de Odontologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Utilizou-se duas técnicas
marcadoras de proliferação celular: a técnica de impregnação por prata das regiões organizadoras nucleolares - a técnica AgNOR e a técnica imunohistoquímica para identificação da proteína nuclear PCNA. Cada um dos casos foi submetido a uma análise estatística quantitativa e comparativa dos resultados das duas técnicas. Conclui-se que o ameloblastoma é uma neoplasia de comportamento benigno com um número AgNOR médio igual a 1.612, apresentando uma atividade proliferativa variável à expressão da proteína PCNA com uma imunoreatividade média de 51.61%. A análise dos tipos celulares do componente epitelial neoplásico mostra que as células assemelhadas aos pré-ameloblastos obtiveram valores estatisticamente superiores aos obtidos pelas células assemelhadas às do retículo estrelado do órgão do esmalte nas duas técnicas utilizadas, levando a inferência de que as células assemelhadas aos pré-ameloblastos são as detentoras do potencial proliferativo e
provavelmente as responsáveis pelas características de crescimento e infìltração deste tumor.

Keywords


Ameloblastoma; Regiões organizadoras nucleolares; PCNA



DOI: https://doi.org/10.22456/2177-0018.110313

Licença Creative Commons

e-ISSN 2177-0018 / ISSN 0566-1854.

descrição da foto descrição da foto descrição da foto descrição da foto descrição da foto descrição da foto descrição da fotodescrição da foto