Um rosto, uma identidade, Zanele Muholi: A visibilidade LGBT através do retrato fotográfico em um lugar em que o amor foi esquecido

Thiago Costa

Resumo


Neste artigo é discutido a questão do rosto e da identidade através do trabalho Faces and Phases da fotógrafa Zanele Muholi. Mulher, sul-africana, negra e lésbica, seus retratos tem uma potência dissensual em um país e continente marcado pelo colonialismo, apartheid, subjugação da mulher e pela aversão à comunidade LGBT. Através dos conceitos de Giorgio Agamben (2000) e Gilles Deleuze e Felix Guattari (2005), a questão do rosto e sua rostidade é pensada como possibilidade de registrar um indivíduo através do retrato fotográfico e “emprestar” seu rosto para uma comunidade marginal e invisível a partir de uma pertinente discussão do papel da identidade nos discursos contemporâneos.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.