Black Prof: uma nova semiotização no ciclo de protestos no Brasil

Cristina Thorstenberg Ribas

Resumo


Neste artigo analiso um caso de intersecção de lutas minoritárias nas ruas do Rio de Janeiro no ciclo de manifestações no Brasil no biênio 2013-2015, um novo modo de semiotização: o Black Prof. Esta intersecção surge em meio ao ciclo de manifestações que colocam em questão as políticas antidemocráticas e neodesenvolvimentistas no país. Minha análise observa a solidarização entre lutas e o surgimento de novos fluxos semióticos que operam, a partir de efeitos de transversalização, uma significativa bagunça na semiótica da política naquele contexto. Analiso, portanto uma relação produtiva entre criação e política, pensando política mais como micropolítica, portanto como potencial de auto-organização, e criação como potencial de diferenciação.



Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.