Rasheed Araeen: Paki Bastard

Amanda Bonan Gusmao Porto

Resumo


Partindo do debate acerca de teorias pós-colonialistas que se acirrou nos anos 80 atingindo a arte contemporânea, este artigo pretende investigar a obra artística e teórica do paquistanês Rasheed Araeen, imigrante em Londres desde 1964. Araeen é profundo questionador da instituição da arte eurocêntrica e propositor de uma contra-hegemonia do terceiro mundo. Fundador do grupo de pesquisa Black Umbrella sobre artistas imigrantes das ex-colônias britânicas, escritor do livro autobiográfico Making Myself Visible e fundador da revista Third Text. Para isso devemos tratar dos problemas colocados pela imigração à Inglaterra e sua intrincada relação com suas ex-colônias.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.