A Sublime Solidão e o Espírito Livre - de Charles Baudelaire a Edward Hopper

Maurília Santos

Resumo


Este artigo visa apontar indícios do sublime como categoria estética, a partir da leitura da obra de Edward Hopper, William Blake e Johann Heinrich Füssli, bem como através de relações a poesia de Charles Baudelaire. Nesse sentido, aspectos do estado de espírito moderno e da solidão urbana também serão abordados.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.