Acerca dos governos panistas no México após a Alternância: as Políticas Externas de Vicente Fox (2000-2006) e Felipe Calderón (2006-2012)

Amanda Eloísa Terra

Resumo


Desde a década de 1930, o Partido Revolucionário Institucional (PRI) esteve incumbido da condução do Estado e da política externa mexicana. Com a ascensão de Vicente Fox, em 2000, e de Felipe Calderón, em 2006, à presidência do México, ambos do Partido de Ação Nacional (PAN), consolidou-se o processo de alternância e reformulação da política externa. O presente artigo analisa a política externa de Fox e Calderón no que se refere aos Direitos Humanos; à intensificação das relações com a América Latina e Europa; à aproximação aos Estados Unidos e à participação mais ativa nos foros multilaterais. Busca-se analisar a dinâmica empreendida pelas gestões de Fox e Calderón, e, fundamentalmente, apreender se o governo de Calderón representou uma continuidade da política externa delineada por Fox.

Texto completo:

PDF