O petróleo e a Primeira Guerra Mundial: consequências operativas e planejamento estratégico

Bruno Luiz de Souza Ronchi, Bruno Palombini Gastal, Stefano Arroque, Yuri Pinheiro da Rosa

Resumo


O artigo analisa a importância do petróleo, em contexto de revolução dos paradigmas tecnológicos de propulsão, como elemento destacado no planejamento tático, operacional e estratégico durante a Primeira Guerra Mundial. Tal revolução, ocorrida no âmbito da Paz Armada, permitiu o desenvolvimento de uma capacidade bélica sem precedentes – destacada no caso específico das novas gerações de navios de guerra – que, na medida em que fortaleceu os Estados materialmente e conferiu uma maior capacidade de garantia e imposição de seus interesses, tornou-os dependentes do petróleo. Em decorrência dessa dependência, regiões antes pouco importantes do ponto de vista geoestratégico tornaram-se centrais para a manutenção das capacidades bélicas dos Estados, estabelecendo uma relação bidirecional entre a garantia das jazidas do mineral e a manutenção daquelas capacidades.

Texto completo:

PDF