A Política Externa Brasileira para a Argentina: O Pacto ABC e a Dinâmica de Poder Regional

Autores

  • Arthur Schneider Gregório Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • Clara Rodrigues Brundo Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • Júlia Käfer Migot Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • Raquel Abifadel Fernandes Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • Vinícius dos Santos Nardin Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Resumo

Este artigo tem o propósito de analisar o Pacto ABC, proposto pelo Barão
do Rio Branco em 1909, e averiguar as motivações e os objetivos do Brasil em relação aos atores envolvidos – Chile e, em especial, Argentina  –, assim como a balança de poder existente. Para isso, foi aplicada a ótica realista com enfoque no conceito de “engajamento” de Evan Resnick (2001), estratégia utilizada com o objetivo de influenciar o comportamento de algum Estado-alvo a partir de aproximação em diversas áreas contenciosas. A política externa de Rio Branco será retomada para que o contexto histórico facilite a compreensão das motivações do embaixador. Dessa forma, a hipótese definida e confirmada pela análise foi que a proposição brasileira do tratado buscou subjugar a influência argentina no continente.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2021-07-04

Como Citar

Schneider Gregório, A., Rodrigues Brundo, C., Käfer Migot, J., Abifadel Fernandes, R., & dos Santos Nardin, V. (2021). A Política Externa Brasileira para a Argentina: O Pacto ABC e a Dinâmica de Poder Regional. Revista Perspectiva: Reflexões Sobre a temática Internacional, 14(26). Recuperado de https://seer.ufrgs.br/index.php/RevistaPerspectiva/article/view/111809

Edição

Seção

Artigos