Comunicação no handover na terapia intensiva: sentidos e práticas da equipe de enfermagem

Grazielle Rezende Silva Santos, Fabiana de Mello Barros, Rafael Celestino da Silva

Resumo


Objetivo: Analisar os sentidos construídos pela equipe de enfermagem sobre a comunicação
no handover na transferência de turnos na Unidade de Terapia Intensiva.
Método: Estudo qualitativo alicerçado no suporte teórico de Berlo, desenvolvido na Unidade
de Terapia Intensiva de um hospital do Rio de Janeiro com a equipe de enfermagem
participante do handover e/ou atuante na assistência ao paciente. Realizou-se observação e
entrevistas, com descrição densa dos dados e análise de conteúdo temático.
Resultados: Ao tempo em que há o sentido de reconhecimento da importância do handover
para o cuidado de enfermagem, expresso em comportamentos que buscam evitar a
ineficiência ou percepção errônea da comunicação, por outro lado, há pouca participação dos
técnicos de enfermagem, com conversas paralelas, desatenção e informações incompletas,
comprometendo a sua efetividade.
Conclusão: Os profissionais devem compreender o seu papel no processo de comunicação,
desempenhando-o com participação ativa para reduzir os ruídos no handover.
Palavras-chave: Transferência da responsabilidade pelo paciente. Cuidados críticos.
Comunicação. Enfermagem.


Palavras-chave


Transferência da responsabilidade pelo paciente. Cuidados críticos. Comunicação. Enfermagem.

Texto completo:

Português English


ATENÇÃO: AS SUBMISSÕES PARA A RGE DEVEM SER REALIZADAS NO SEGUINTE ENDEREÇO:

https://mc04.manuscriptcentral.com/rgenf-scielo

 
              

 SCImago Journal & Country Rank

 

ISSN 0102-6933 E-ISSN 1983-1447