Responsabilidade filial: quais as atitudes dos filhos sobre a institucionalização dos pais idosos?

Duane Mocellin, Marines Aires, Ana Cláudia Fuhrmann, Fernanda Laís Fengler Dal Pizzol, Lisiane Manganelli Girardi Paskulin

Resumo


Objetivo: Analisar as atitudes de responsabilidade filial sobre a institucionalização dos pais
idosos.
Métodos: Estudo qualitativo com amostra intencional de 100 filhos cuidadores de idosos de duas
Unidades de Saúde de Porto Alegre/RS. As informações foram coletadas em 2014, por meio de
entrevista semiestruturada. A análise baseou-se na análise temática. Foi utilizado o software
NVIVO® versão 10.
Resultados: Elaboraram-se duas categorias de acordo com as questões do protocolo:
possibilidade de institucionalização dos pais idosos e expectativa de cuidado.
Considerações finais: A maioria dos filhos cuidadores não considerou a institucionalização dos
pais idosos, por julgarem ser um dever deles o cuidado aos pais, e considerarem a
institucionalização como abandono. A maioria dos filhos cuidadores possuía expectativa de ser
cuidada pelos filhos e percebeu a institucionalização como forma de receber este cuidado. Os
resultados do estudo contribuem para o fortalecimento da rede formal e informal ao idoso e seu
filho cuidador.
Palavras-chave: Cuidadores. Institucionalização. Atitude. Idoso.


Palavras-chave


Cuidadores. Institucionalização. Atitude. Idoso.

Texto completo:

Português English


ATENÇÃO: AS SUBMISSÕES PARA A RGE DEVEM SER REALIZADAS NO SEGUINTE ENDEREÇO:

https://mc04.manuscriptcentral.com/rgenf-scielo

 
              

 SCImago Journal & Country Rank

 

ISSN 0102-6933 E-ISSN 1983-1447