Cenário ambulatorial de pacientes com sítio cirúrgico infectado após intervenção cardíaca

Elizabete Rosane Palharini Yoneda Kahl, Renata da Costa Brião, Laura Maggi da Costa, Luciane Raminelli Silveira, Maria Antonieta P. de Moraes

Resumo


Objetivo: Verificar o perfil clínico-cirúrgico e os resultados de pacientes acompanhados em
um ambulatório de ferida operatória após cirurgia cardíaca.
Métodos: Coorte histórica com pacientes submetidos à cirurgia cardíaca e acompanhados por
um ano em um ambulatório de feridas de um hospital especializado em cardiologia. Foram
analisados os micro-organismos predominantes nas infecções, os produtos utilizados nos
curativos, tempo de acompanhamento e o tipo de terapêutica instituída nos curativos.
Resultados: Entre os 150 pacientes, predominaram sexagenários (61,7 ± 11,4 anos),
hipertensos (75%), diabéticos (44,7%). Evidenciou-se 12 pacientes com mediastinite (8%) e
44 com infecção de sítio cirúrgico (29,3%). Utilizou-se para realização dos curativos os
ácidos graxos (80%) e alginato de cálcio (19%). O tempo de acompanhamento foi de 35 ±71
dias.
Conclusão: Pacientes sexagenários, hipertensos, diabéticos e revascularizados constituíram a
população acompanhada no ambulatório de feridas. As taxas de ISC e mediastinite
encontradas foram aceitáveis e semelhantes às da literatura.
Palavras-chave: Esternotomia. Cirurgia torácica. Infecção da ferida cirúrgica. Mediastinite.
Assistência ambulatorial.


Palavras-chave


Esternotomia. Cirurgia torácica. Infecção da ferida cirúrgica. Mediastinite. Assistência ambulatorial.

Texto completo:

Português English


ATENÇÃO: AS SUBMISSÕES PARA A RGE DEVEM SER REALIZADAS NO SEGUINTE ENDEREÇO:

https://mc04.manuscriptcentral.com/rgenf-scielo

 
              

 SCImago Journal & Country Rank

 

ISSN 0102-6933 E-ISSN 1983-1447