Risco de quedas em pessoas idosas hospitalizadas

Renata Maia de Medeiros Falcão, Kátia Neyla de Freitas Macedo Costa, Maria das Graças Melo Fernandes, Maria de Lourdes de Farias Pontes, Josilene de Melo Buriti Vasconcelos, Jacira dos Santos Oliveira

Resumo


Objetivo: Avaliar o risco de quedas de pessoas idosas hospitalizadas.
Método: Estudo transversal e abordagem quantitativa, realizado em Hospital Universitário do
Estado da Paraíba. A amostra configurou-se em 284 idosos entrevistados de abril e outubro de
2016. Utilizou-se a Escala de Morse para avaliar o risco de quedas.
Resultados: Prevaleceram idosos do sexo masculino (52,5%), com 60 a 69 anos (58,1%) e
não alfabetizados (38,7%). Verificou-se que 45% da amostra apresentou alto risco de quedas.
Diagnóstico secundário e uso de terapia intravenosa foram os critérios que obtiveram um
maior percentual de idosos em risco. Os diuréticos (p≤0,032), a incontinência urinária
(p≤0,001), deficit visual (p≤0,001) e a insuficiência cardíaca (p≤0,001) apresentaram
associação significativa com o alto risco de quedas.
Conclusão: Utilizar ferramentas específicas na prevenção de quedas possibilita melhora na
qualidade assistencial baseada em evidências científicas, permitindo intervir de forma eficaz e
potencializar a segurança do paciente.
Palavras-chave: Segurança do paciente. Idoso. Acidentes por quedas. Hospitalização.


Palavras-chave


Segurança do paciente. Idoso. Acidentes por quedas. Hospitalização.

Texto completo:

Português English


ATENÇÃO: AS SUBMISSÕES PARA A RGE DEVEM SER REALIZADAS NO SEGUINTE ENDEREÇO:

https://mc04.manuscriptcentral.com/rgenf-scielo

 
              

 SCImago Journal & Country Rank

 

ISSN 0102-6933 E-ISSN 1983-1447