A morte e o morrer: contributos para uma prática sustentada em referenciais teóricos de enfermagem

Maria Filomena Passos Teixeira Cardoso, Olga Maria Pimenta Lopes Ribeiro, Maria Manuela Ferreira Pereira da Silva Martins

Resumo


Objetivo: Identificar a concordância dos enfermeiros sobre as concepções de enfermagem
com potencial para sustentar a sua prática no âmbito da morte e dos processos de morrer.
Método: Estudo quantitativo, exploratório e descritivo, realizado em 36 hospitais de Portugal,
de julho de 2015 a março de 2016, com participação de 3451 enfermeiros. Na coleta de dados
utilizou-se o questionário e na análise recorreu-se à estatística descritiva e inferencial.
Resultados: Dentre as concepções com potencial para sustentar a prática, os enfermeiros
salientam as de Virginia Henderson, Afaf Meleis e Madeleine Leininger. As variáveis que
afetam o grau de concordância são: região, serviço, gênero, formação profissional e tempo de
exercício profissional.
Conclusão: Considerando os atuais desafios, de uma prática predominantemente centrada na
satisfação das necessidades, emerge a pertinência da intencionalidade da ação dos
enfermeiros, no sentido de facilitar a vivência da morte e dos processos de morrer, de formas
culturalmente significativas.
Palavras-chave: Morte. Enfermagem. Teoria de enfermagem. Modelos de enfermagem.


Palavras-chave


Morte. Enfermagem. Teoria de enfermagem. Modelos de enfermagem.

Texto completo:

Português English


ATENÇÃO: AS SUBMISSÕES PARA A RGE DEVEM SER REALIZADAS NO SEGUINTE ENDEREÇO:

https://mc04.manuscriptcentral.com/rgenf-scielo

 
              

 SCImago Journal & Country Rank

 

ISSN 0102-6933 E-ISSN 1983-1447