Poder de gênero, pobreza e anticoncepção: vivências de multíparas

Cibeli De Souza Prates, Gilda Maria De Carvalho Abib, Dora Lúcia Leidens Correa De Oliveira

Resumo


A multiparidade entre mulheres pobres está associada a vulnerabilidade como gerador ou potencializador. Trata-se de um estudo qualitativo-exploratório. O objetivo foi problematizar as suas experiências de anticoncepção (AC), considerando a influência do gênero na sua autonomia para escolher o número de filhos, o momento de engravidar e as estratégias de AC; e, os mecanismos de resistência que elas mobilizam na busca desta autonomia. As informações foram coletadas por meio de grupos focais. A análise de conteúdo sugere que o número elevado de filhos dessas mulheres se justifica em função de uma autonomia reduzida para o exercício da AC, gerada por sua situação de pobreza e por desigualdades de poder de gênero, as quais são enfrentadas com estratégias de resistência que resultam em rupturas no poder masculino. A pesquisa traz subsídios para o entendimento do fenômeno da multiparidade entre mulheres pobres e contribui para uma análise crítica das ações de planejamento familiar.


Palavras-chave


Anticoncepção; Identidade de gênero; Poder (psicologia).

Texto completo:

PDF


ATENÇÃO: AS SUBMISSÕES PARA A RGE DEVEM SER REALIZADAS NO SEGUINTE ENDEREÇO:

https://mc04.manuscriptcentral.com/rgenf-scielo

 
              

 SCImago Journal & Country Rank

 

ISSN 0102-6933 E-ISSN 1983-1447