A contribuição de restrições sociais ao fumo para o abandono do tabagismo

Isabel Cristina Echer, Anna Maria Hecker Luz, Amália de Fátima Lucena, Giordana de Cássia Motta, José Roberto Goldim, Sérgio Saldanha Menna Barreto

Resumo


Estudo qualitativo que analisou a contribuição das restrições sociais ao fumo para o abandono do tabagismo. Foram entrevistados 16 indivíduos de Porto Alegre, Rio Grande do Sul, em abstinência ao fumo há mais de seis meses com dependência

? 5 pela escala de Fagerström. A análise de conteúdo revelou que as restrições sociais ao fumo contribuíram para o abandono do tabagismo e foram traduzidas na regulamentação do uso do fumo e interferência do hábito de fumar no convívio social. Embora as restrições sociais ao fumo causem constrangimento e desconforto, elas atuam de forma a auxiliar, mobilizar e educar o fumante para o processo de abandono. Diante das dificuldades para parar de fumar, percebe-se a responsabilidade dos profissionais de saúde no apoio, conscientização e estímulo aos fumantes e não-fumantes sobre a importância de não fumar para a saúde da população.


Palavras-chave


Abandono do hábito de fumar; Legislação sanitária; Promoção da saúde.

Texto completo:

PDF


ATENÇÃO: AS SUBMISSÕES PARA A RGE DEVEM SER REALIZADAS NO SEGUINTE ENDEREÇO:

https://mc04.manuscriptcentral.com/rgenf-scielo

 
              

 SCImago Journal & Country Rank

 

ISSN 0102-6933 E-ISSN 1983-1447