Fortalezas e fragilidades do curso técnico de enfermagem no Instituto Federal de Santa Catarina

Luciane Patricia Oliari, Maria Itayra Padilha, Vânia Marli Schubert Backes

Resumo


Objetivo: Analisar as fortalezas e as fragilidades encontradas no processo de implantação do curso Técnico de Enfermagem no Instituto Federal de Santa Catarina, Florianópolis/SC, na década de 2000.
Método: Pesquisa sócio-histórica com abordagem qualitativa. História oral como método-fonte para coleta dos dados, entre junho/setembro de 2015, com análise temática. Sete profissionais participaram do estudo, resultando em três categorias: Reconhecimento do curso Técnico de Enfermagem pela comunidade e pelo mercado de Trabalho; Fragilidades enfrentadas pelo curso; Fortalezas no período de implantação do curso.
Resultados: O curso foi aceito pelo mercado de trabalho, o que se reflete na procura ampliada pelo curso. Como fragilidades destacaram-se: materiais e estrutura insuficientes, poucos professores, oferta bianual e não compreensão dos estágios pela instituição. Como fortalezas destacaram-se: o comprometimento dos professores, o apoio da direção e o incentivo à pesquisa.
Considerações finais: Apesar das fragilidades, as fortalezas contribuíram para que a implantação do curso Técnico de Enfermagem superasse os desafios, garantindo melhoria na formação profissional.
Palavras-chave: História da enfermagem. Ensino fundamental e médio. Escolas de enfermagem. Educação.


Palavras-chave


História da Enfermagem; Ensino Médio; Escolas de Enfermagem; Educação.

Texto completo:

Português English


ATENÇÃO: AS SUBMISSÕES PARA A RGE DEVEM SER REALIZADAS NO SEGUINTE ENDEREÇO:

https://mc04.manuscriptcentral.com/rgenf-scielo

 
              

 SCImago Journal & Country Rank

 

ISSN 0102-6933 E-ISSN 1983-1447