Percepções da equipe de enfermagem em relação ao pai como cuidador na unidade de pediatria

Giovana Calcagno Gomes, Wilson Danilo Lunardi Filho, Alacoque Lorenzini Erdmann

Resumo


A participação do pai no cuidado da criança vem aumentando. Objetivou-se identificar as percepções da equipe de enfermagem acerca da presença do pai como cuidador em unidades pediátricas. Foi realizado um estudo qualitativo descritivo, exploratório, no primeiro semestre de 2005 em uma unidade de pediatria de um hospital universitário do sul do país. Os sujeitos foram quatro enfermeiras e 15 auxiliares de enfermagem. Realizou-se entrevistas semi-estruturadas e os dados foram analisados pela análise temática. Verificou-se que, para a equipe, a criança precisa tanto da mãe como do pai no hospital, mas a área física é um forte impedimento para a presença de ambos. Segundo os profissionais, a mãe cuida melhor que o pai, e este só é aceito como cuidador no hospital em situações especiais. Concluiu-se que a enfermagem precisa refletir sobre como ajudar os pais a vivenciarem e praticarem a paternidade participante na Pediatria.

Palavras-chave


Pai; Enfermagem pediátrica; Criança hospitalizada; Cuidadores.

Texto completo:

PDF


ATENÇÃO: AS SUBMISSÕES PARA A RGE DEVEM SER REALIZADAS NO SEGUINTE ENDEREÇO:

https://mc04.manuscriptcentral.com/rgenf-scielo

 
              

 SCImago Journal & Country Rank

 

ISSN 0102-6933 E-ISSN 1983-1447