Existir de crianças com aids em casa de apoio: compreensões à luz da enfermagem humanística

Hilda Maria Freitas Medeiros, Maria Da Graça Corso Da Motta

Resumo


O artigo compreende o existir de crianças com aids em Casa de Apoio, sob o olhar da Teoria de Enfermagem Humanística.
A pesquisa é de cunho qualitativo, com abordagem existencial-fenomenológico-humanística, na Nursology
de Paterson e Zderad. No cenário, uma Casa de Apoio a crianças com HIV/aids, no Rio Grande do Sul, coletaramse
as informações mediante entrevista fenomenológica cujo público-alvo foram três crianças portadoras de aids.
Apresenta-se um recorte das interpretações das informações produzidas pela pesquisa, abordando duas unidades de
significação. Os resultados permitem compreender o brincar como um modo de a criança estar-melhor no ambiente
da Casa de Apoio, pois ela se percebe no mundo com os outros. Também conferem visibilidade às crianças com aids
em Casa de Apoio. Sinaliza-se a importância da inclusão da temática na formação acadêmica, na sensibilização de
profissionais de saúde para o cuidado humanístico e de gestores para desenvolver políticas públicas especificas a
esse segmento.

Palavras-chave


Enfermagem pediátrica; Criança institucionalizada; Síndrome de imunodeficiência adquirida; Teoria de enfermagem.

Texto completo:

PDF


ATENÇÃO: AS SUBMISSÕES PARA A RGE DEVEM SER REALIZADAS NO SEGUINTE ENDEREÇO:

https://mc04.manuscriptcentral.com/rgenf-scielo

 
              

 SCImago Journal & Country Rank

 

ISSN 0102-6933 E-ISSN 1983-1447