Análise da capacidade no trabalho e estresse entre profissionais de enfermagem com distúrbios osteomusculares

Rafael Souza Petersen, Maria Helena Palucci Marziale

Resumo


Objetivo: Caracterizar os aspectos sociodemográficos, capacidade no trabalho e o estresse dos trabalhadores de enfermagem acometidos por distúrbios osteomusculares e analisar a associação entre comorbidades osteomusculares, capacidade, estresse e o apoio social.
Métodos: Estudo transversal, realizado em dois hospitais de Manaus. Utilizou-se o Índice de Capacidade para o Trabalho e o Job Stress Scale, traduzidos e validados, em trabalhadores há mais de um ano na enfermagem, com dor osteomuscular nos últimos três meses, de duração mínima de duas horas. Resultados: O estudo apresentou maioria mulheres e técnicos, com idade de 42±10,7 anos, sendo a capacidade moderada (34,7±5,11) associada as comorbidades osteomusculares. O estresse acometeu 56% e a capacidade correlacionou-se fraca e inversa ao estresse e direta ao apoio social.
Conclusões: Houve predomínio de mulheres e técnicos, sendo que as dores osteomusculares associaram a uma diminuição da capacidade. O apoio social associou ao aumento da capacidade e diminuição do estresse.
Palavras-chave: Saúde do trabalhador. Dor musculoesquelética. Doenças musculoesqueléticas. Equipe de enfermagem.


Palavras-chave


Saúde do trabalhador. Dor musculoesquelética. Doenças musculoesqueléticas. Equipe de enfermagem.

Texto completo:

Português English


ATENÇÃO: AS SUBMISSÕES PARA A RGE DEVEM SER REALIZADAS NO SEGUINTE ENDEREÇO:

https://mc04.manuscriptcentral.com/rgenf-scielo

 
              

 SCImago Journal & Country Rank

 

ISSN 0102-6933 E-ISSN 1983-1447