Preditores da síndrome de burnout em enfermeiros de unidade de terapia intensiva

Eduardo Motta Vasconcelos, Milva Figueiredo De Martino

Resumo


Objetivos: Identificar a prevalência e analisar a existência de fatores preditores da síndrome de burnout em enfermeiros de unidade de terapia intensiva.

Métodos: Estudo quantitativo, descritivo, transversal, com 91 enfermeiros de terapia intensiva. Utilizaram-se na coleta dos dados, em julho de 2014, dois instrumentos: um sociodemográfico e o Maslach Burnout Inventory - Human Services Survey. Para verificar a associação entre a ocorrência do burnout e as variáveis categóricas foram aplicados o teste Qui-Quadrado de Pearson ou o teste Exato de Fisher.

Resultados: Apresentaram burnout 14,3% da amostra. Das variáveis estudadas, a duração das férias foi a única que apresentou associação significativa com a ocorrência do burnout (p=0,034 / OR=3,92).

Conclusões: A prevalência do burnout nos enfermeiros correspondeu a 14,3%. A duração das férias foi a única variável em que houve associação significativa com a ocorrência do burnout.

Palavras-chave: Enfermeiras e enfermeiros. Unidades de terapia intensiva. Pesquisa em enfermagem. Estresse psicológico. Esgotamento profissional. Prevalência.


Palavras-chave


Enfermeiras e enfermeiros. Unidades de terapia intensiva. Pesquisa em enfermagem. Estresse psicológico. Esgotamento profissional. Prevalência.

Texto completo:

Português English


ATENÇÃO: AS SUBMISSÕES PARA A RGE DEVEM SER REALIZADAS NO SEGUINTE ENDEREÇO:

https://mc04.manuscriptcentral.com/rgenf-scielo

 
              

 SCImago Journal & Country Rank

 

ISSN 0102-6933 E-ISSN 1983-1447