Aplicação do relacionamento terapêutico a pessoas com transtorno mental comum

Maria do Perpétuo Socorro de Sousa Nóbrega, Marta Francisca Trigo Fernandes, Priscila de Freitas Silva

Resumo


Objetivo: Descrever o resultado da aplicação do relacionamento terapêutico a pessoas com transtorno mental comum.
Método: Estudo quantitativo, descritivo, tipo antes e depois, conduzido com 112 prontuários acessados de um projeto de extensão em saúde mental na Atenção Primária à Saúde em Santo André, São Paulo. Utilizou-se o Self-Reporting Questionnaire para rastreio. Dados coletados em outubro de 2014 e analisados por meio de medidas de frequência simples.
Resultados: O escore de entrada variou entre 07 e 18 pontos, e, quanto maior, mais sessões de relacionamento foram necessárias. Ao final do processo do relacionamento, 55% da amostra apresentaram escore negativado e 45% passaram à pontuação ≤3.
Conclusão: O relacionamento terapêutico como cuidado em enfermagem em saúde mental transcende ao espaço da especialidade. A reavaliação contínua e o redirecionamento do processo conduziram os usuários a ampliar a visão sobre os desencadeadores de sofrimento, construir estratégias de enfrentamento e exercitar mudanças no cotidiano.
Palavras-chave: Saúde mental. Atenção primária à saúde. Enfermagem. Assistência em saúde mental.


Palavras-chave


Relação de Ajuda. Saúde Mental. Atenção Primária à Saúde. Sofrimento Emocional.

Texto completo:

Português English


ATENÇÃO: AS SUBMISSÕES PARA A RGE DEVEM SER REALIZADAS NO SEGUINTE ENDEREÇO:

https://mc04.manuscriptcentral.com/rgenf-scielo

 
              

 SCImago Journal & Country Rank

 

ISSN 0102-6933 E-ISSN 1983-1447