Influências capitalistas na produção do conhecimento em enfermagem

Monica Motta Lino, Vânia Marli Schubert Backes, Maria Arminda Silva Mendes Carneiro da Costa, Maria Manuela Ferreira Pereira da Silva Martins, Murielk Motta Lino

Resumo


Objetivo: Compreender as influências capitalistas na produção do conhecimento em enfermagem na percepção de pesquisadores brasileiros e portugueses.
Método: Pesquisa descritiva, exploratória, qualitativa, tendo como participantes 17 enfermeiros pesquisadores selecionados a partir da técnica bola de neve. A coleta dos dados ocorreu entre outubro de 2011 a novembro de 2012 no Brasil e em Portugal a partir da aplicação de entrevistas semiestruturadas. Procedeu-se à análise do conteúdo das entrevistas, produzindo inferências embasadas nos pressupostos teóricos de Gaston Bachelard e na noção de obstáculo epistemológico.
Resultados: Encontram-se organizados em três categorias: Bloqueio da criatividade/inovação e a prática da repetição; Hipervalorização do quantitativo; e, Resistência à ruptura.
Conclusão: É preciso repensar novos modos de avaliação da produção científica em uma perspectiva qualitativa, com espaço à criatividade, à valorização profissional e ao pensamento crítico e reflexivo. A solidariedade é percebida como alternativa para romper com problemas decorrentes do modo capitalista de produzir conhecimento.
Palavras-chave: Enfermagem. Conhecimento. Pesquisa em enfermagem. Indicadores de produção científica. Eficiência. Capitalismo.


Palavras-chave


Enfermagem. Conhecimento. Pesquisa em Enfermagem. Indicadores de produção científica. Eficiência. Capitalismo.

Texto completo:

Português English


ATENÇÃO: AS SUBMISSÕES PARA A RGE DEVEM SER REALIZADAS NO SEGUINTE ENDEREÇO:

https://mc04.manuscriptcentral.com/rgenf-scielo

 
              

 SCImago Journal & Country Rank

 

ISSN 0102-6933 E-ISSN 1983-1447