“Aqui a conversa é profissional, [...] Eu sou a pintora!”: resistência no canteiro de obra

Maria Celeste Landerdahl, Laura Ferreira Cortes, Stela Maris Mello Padoin, Wilza Vieira Villela

Resumo


Objetivo: Conhecer as relações de trabalho de mulheres com seus colegas homens em um canteiro de obras da construção civil no município de Santa Maria, RS.
Método: Pesquisa exploratória, abordagem qualitativa com uma trabalhadora da construção civil, em agosto de 2012. História oral temática como dispositivo para produção de dados. Análise do Discurso de tradição francesa como dispositivo de análise.
Resultados: Relação laboral impregnada de posturas de resistência, com enfrentamentos importantes com o poder de ordem masculina, apontando para deslocamentos e permanências no ensaio para novas posturas de gênero.
Conclusões: A conquista de espaços no trabalho remunerado não basta para o alcance do equilíbrio nas relações de gênero; políticas públicas de gênero contribuem, sensibilizando para transformações no campo cultural mediante a compreensão de que a igualdade de direitos e de oportunidades entre homens e mulheres constitui uma condição básica para o alcance da justiça, da cidadania e do desenvolvimento.
Palavras-chave: Enfermagem. Trabalho feminino. Identidade de gênero. Poder (psicologia). Objetivos de Desenvolvimento do Milênio.


Palavras-chave


Enfermagem; Trabalho Feminino; Gênero; Objetivos de Desenvolvimento do Milênio; Análise do Discurso.

Texto completo:

PORTUGUÊS ENGLISH


ATENÇÃO: AS SUBMISSÕES PARA A RGE DEVEM SER REALIZADAS NO SEGUINTE ENDEREÇO:

https://mc04.manuscriptcentral.com/rgenf-scielo

 
              

 SCImago Journal & Country Rank

 

ISSN 0102-6933 E-ISSN 1983-1447