Percepções de familiares de adolescentes sobre oficinas terapêuticas em um centro de atenção psicossocial infantil

Arlete Aparecida Noronha, Daniela Folle, Andréa Noeremberg Guimarães, Maria Luiza Bevilaqua Brum, Jacó Fernando Schneider, Maria da Graça Corso da Motta

Resumo


Objetivo: Conhecer as percepções de familiares de adolescentes sobre oficinas terapêuticas em um Centro de Atenção Psicossocial Infantil. Métodos: Pesquisa qualitativa, descritiva, desenvolvida em 2013, em Santa Catarina, com 18 familiares de adolescentes em acompanhamento no CAPSi. As entrevistas realizadas foram interpretadas a partir da análise de conteúdo. Resultados: Identificaram-se duas categorias: o desconhecimento sobre as oficinas terapêuticas e o reconhecimento da ação terapêutica das oficinas. Nove familiares desconheciam as atividades realizadas nas oficinas, enquanto os outros nove referiram as conhecerem. Destacaram-se aspectos terapêuticos, como a melhora da autoestima dos adolescentes, dos comportamentos e da convivência. Todavia, alguns familiares não perceberam mudanças. Conclusões: As oficinas terapêuticas oportunizam espaço de convivência, educação em saúde e suporte social, psicológico e pedagógico. Ressalta-se a importância da inclusão dos familiares no serviço para o cuidado efetivo. Este estudo pode contribuir para a reflexão sobre as práticas das oficinas terapêuticas na Enfermagem, em serviços de saúde mental. Palavras-chave: Família. Adolescente. Saúde mental. Serviços comunitários de saúde mental.


Palavras-chave


Enfermagem; Saúde mental; Serviços comunitários de saúde mental

Texto completo:

Português English


ATENÇÃO: AS SUBMISSÕES PARA A RGE DEVEM SER REALIZADAS NO SEGUINTE ENDEREÇO:

https://mc04.manuscriptcentral.com/rgenf-scielo

 
              

 SCImago Journal & Country Rank

 

ISSN 0102-6933 E-ISSN 1983-1447