Relações entre o familiar e a criança com AIDS: compreensões à luz de Martin Buber

Diego Schaurich, Maria Da Graça Corso Da Motta

Resumo


Estudo qualitativo, de abordagem fenomenológica, que buscou compreender o que é ser familiar cuidadora de criança que vive com a Síndrome da Imunodeficiência Adquirida (AIDS), à luz da filosofia de Martin Buber. Realizou-
se no Ambulatório de Pediatria de um hospital-escola de Porto Alegre, Rio Grande do Sul, e teve como participantes
sete familiares cuidadoras destas crianças. A coleta das informações ocorreu entre os meses de setembro e outubro de 2006 por meio da entrevista fenomenológica e, na interpretação, utilizou-se a filosofia hermenêutica de Ricouer. Ser familiar de criança com AIDS revela-se um fenômeno existencial complexo de mudanças, cuidados, diálogos e preocupações, na busca por um estar-melhor de ambos, no mundo. Compreender os significados que estes fenômenos adquirem na vida destes familiares é de fundamental importância à Enfermagem para que se possa planejar e desenvolver um cuidado que se quer humanístico, ético, estético e solidário.

Palavras-chave


Síndrome de Imunodeficiência Adquirida; Filosofia em enfermagem; Família.

Texto completo:

PDF


ATENÇÃO: AS SUBMISSÕES PARA A RGE DEVEM SER REALIZADAS NO SEGUINTE ENDEREÇO:

https://mc04.manuscriptcentral.com/rgenf-scielo

 
              

 SCImago Journal & Country Rank

 

ISSN 0102-6933 E-ISSN 1983-1447