Percepções de homens sobre a vivência da paternidade na adolescência: uma perspectiva bioecológica

Ana Cândida Lopes Corrêa, Sonia Maria Könzgen Meincke, Eda Schwartz, Adriane Maria Netto de Oliveira, Marilu Corrêa Soares, Vanda Maria da Rosa Jardim

Resumo


Objetivo: conhecer a percepção de homens sobre a vivência da paternidade na adolescência.
Método: estudo qualitativo, realizado com cinco homens que vivenciaram a paternidade durante a adolescência. A coleta dos dados ocorreu por meio de entrevista em profundidade, no domicílio, em agosto de 2013, em um município do Sul do Brasil. Analisaram-se os dados com o modelo teórico de Urie Bronfenbrenner.
Resultados: viver a paternidade na adolescência foi uma experiência de amadurecimento e reflexões a respeito do papel de pai e suas atribuições. A família foi o microssistema referenciado e influenciou o desenvolvimento da paternidade. Identificou-se o quanto as implicações da paternidade na adolescência repercutiram ao longo de suas vidas.
Conclusão: é importante introduzir a temática paternidade nos sistemas de saúde, para que o adolescente possa exercitá-la de maneira saudável. A enfermagem tem papel relevante, pois pode acolhê-los e direcionar o olhar para suas singularidades.
Palavras-chave: Paternidade. Adolescente. Relações pai-filho. Pesquisa qualitativa


Palavras-chave


Paternidade. Adolescência.Relações pai-filho

Texto completo:

PORTUGUÊS ENGLISH


ATENÇÃO: AS SUBMISSÕES PARA A RGE DEVEM SER REALIZADAS NO SEGUINTE ENDEREÇO:

https://mc04.manuscriptcentral.com/rgenf-scielo

 
              

 SCImago Journal & Country Rank

 

ISSN 0102-6933 E-ISSN 1983-1447